WEB DESIGNER

Design refere-se ao projeto visual e funcional de um produto (em nosso caso um Web Site), a adaptação de um produto a necessidade dos seus usuários, cativando o seu uso através da estética, aplicando-se conceitos e usabilidade a sua forma. Porém não é difícil encontrar profissionais, empresas, cursos, matérias de revistas e conversas de botequim, associando o Design à produção de imagens, ou resumindo-o na manipulação de um Software específico.

Os Softwares são apenas ferramentas, e não garantem a qualidade do projeto. Nenhum software deve ser encarado como uma solução pronta. Existem diversos Softwares diferentes e com funções similares, e a escolha sobre qual utilizar deve ser de cada um. A definição do que é Design vai muito além do Photoshop.

O Design é uma área projetual. Sua função é responsável por gerar desempenho, qualidade, durabilidade e aparência a um produto. Cada trabalho a ser realizado exige planejamento, pesquisa, criatividade e técnica. Ao contrário do que muitos pensam, a função do Design não está vinculada pura e simplesmente a produção de imagens.

“A função do Design, além da estética, é tornar um produto funcional. É transformar Informação em Comunicação!”

Na produção de um Web Site (assim como em outros produtos) deve-se elaborar um projeto coerente, que forneça soluções eficientes e eficazes em usabilidade, desempenho e comunicação, focadas nas necessidades do Público Alvo. Não é um trabalho apenas criativo, mas também de planejamenthttp://meu.imasters.com.br/autor/publicacao/

Voltar ao indice de artigos o e de pesquisa. Produzir um Web Site inevitavelmente exige ”Pensar”.

Portanto, além da manipulação de Softwares, existem alguns métodos de planejamento e pesquisa que se deve conhecer, além de conhecimentos conceituais sobre como trabalhar a Pregnância da Forma.

 Mas por onde começar o Projeto?”

“Briefing é um documento onde são colocadas as informações e dados necessários para a criação de qualquer projeto, como objetivos, propósitos, informações sobre o cliente, o produto a ser divulgado, o público alvo, prioridade das informações, imagem a ser transmitida, motivações, etc.”

Inicialmente, devem ser coletadas e organizadas as Informações para o projeto. Utilizar elementos dentro de qualquer peça gráfica sem um estudo do caso é um equívoco que compromete a comunicação e a funcionalidade. Há que se levar em consideração diversos fatores tais como: o objetivo do projeto, o produto a ser divulgado, o público alvo (sexo, idade, cultura, classe social, etc), Identidade Visual, Motivações, etc. Para realizar tal estudo do caso, nada melhor do que ter em mãos um Briefing bem elaborado. O ideal para a elaboração desse documento é reunir-se com o cliente, tirando suas dúvidas, esclarecendo detalhes e orientando-o sobre conceitos e tecnologias. Quando esse processo de elaboração não é possível de se realizar com o cliente, pode-se enviar a ele um documento com perguntas a serem respondidas, o que nem sempre é satisfatório. É possível encontrar vários modelos e exemplos de Briefing na Web, dando uma noção de como esse documento deve ser feito. No entanto o ideal é não seguir um modelo, e sim elaborá-lo sempre de acordo com a necessidade do projeto.

Após a análise do Briefing e com as devidas pesquisas feitas, o próximo passo é a Arquitetura da Informação. Como organizar a estrutura da interface e a distribuição das informações em categorias, além de priorizar a comunicação de informações mais relevantes. O documento apropriado para especificar a ordem e o posicionamento dos elementos que vão compor a página é o Wireframe. Através de uma forma esquemática, ele representa a distribuição e a hierarquia das informações a serem comunicadas. A partir dos posicionamentos do Wireframe é que se constrói o Layout.

“Cada elemento do Layout deve ter uma função”.

Uma vez que uma das funções do Design é transformar Informação em Comunicação, nenhum elemento dentro do Layout deve estar lá sem comunicar algo. Elementos desnecessários podem confundir, poluir e dificultar o acesso e o entendimento das informações. Para um bom trabalho, é necessário fazer um estudo de conceitos visuais e de comunicação. Deve-se ter consciência do porque usar determinadas Cores, Fontes e Formas, e qual imagem e sensações esses elementos estão passando para o usuário.

Combinações cromáticas As Cores têm poder de comunicação bem maior do que se imagina. É importante saber trabalhar com a Psicodinâmica das Cores, para que elas transmitam a imagem e as sensações orientadas no Briefing. Cada cor transmite informações, sensações e emoções diferentes. Uma boa introdução neste assunto é encontrada no site Color in Motion, que por meio de uma animação, dá exemplos de sensações e emoções que cada cor pode representar.

Para elaborar a Paleta de Cores de um site, é importante saber como trabalhar as Combinações Cromáticas. Por mais que se saiba que cores transmitem as sensações desejadas, é essencial saber como combina-las. Nesta tarefa é essencial ter em mãos um Círculo Cromático.

 

ENTREVISTA

Entrevista exclusiva com web-designer que trabalhou no Twitter

Entrevista ao Vitor Lourenço por email. Ele é brasileiro, e ajudou a fazer o novo layout do Twitter (o cara é fera).

A entrevista foi feita especificamente para o Twitter Brasil, mas acho que vale compartilhar aqui também

Conforme divulgado recentemente, o Twitter contou com o brasileiro em sua equipe: Vitor Lourenço.

Em entrevista exclusiva ao Twitter Brasil, o web-designer de apenas 21 anos conta como foi o início de seu contato com a sua nova equipe de trabalho, o que tem feito por lá, comenta o caso envolvendo esse blog e o TRE/CE e mais novidades sobre o microblog.

1 – Desde quando você está na equipe do Twitter? Como você começou a fazer contato com eles?

Eu recebi o contato do Evan Williams (co-fundador do Twitter, criador do Blogger) após ele ter visitado o mashup que criei, FoodFeed e ter se interessado pelo conceito do serviço e pelo meu trabalho disponível emmeu portfólio online.

Começamos a trabalhar remotamente há alguns meses atrás. Eu deixei para trás a Globo.com, para a qual trabalhei durante dois anos, para me envolver completamente no projeto do redesign do Twitter. Foi uma experiência muito rica poder colaborar remotamente: todo o time possui uma estrutura enxuta que lhe permite colaborar diretamente sem precisar estar presente fisicamente. Nas últimas semanas eu viajei para São Francisco e pude acompanhar a fase final do projeto, fazendo os últimos ajustes e acompanhando um pouco do trabalho árduo dos engenheiros em tornar tudo funcional.

2 – Você participou da elaboração do novo visual do Twitter? Quais eram as prioridades dessa mudança?

Sim. As prioridades eram aprimorar a experiência do usuário e a sensação de simplicidade na página. Antes tínhamos uma navegação um pouco confusa e espalhada pela interface – era possível checar as suas respostas alternando nas abas logo acima do conteúdo, mas ainda assim, os seus favoritos e mensagens diretas estavam localizadas em outros pontos. Centralizamos toda a navegação relativa ao usuário em um único lugar: a lateral.

As social stats ganharam mais peso na interface e uma tipografia mais trabalhada, a fim de demonstrar logo de cara, o uso que cada um faz da aplicação. Os ícones de reply e favorito, antes disponíveis para todas as mensagens, agora só aparecem contextualmente, ou seja, quando você posiciona o mouse em cima da mensagem na qual você deseja utilizar estes recursos.

Outra novidade que introduzimos foi os temas. Eu criei 12 temas que são focados em diferentes tribos. Estes temas permitem ter uma página bonita sem muito esforço: basta escolher o seu tema e apertar um botão. Para quem tem mais personalidade e gosta de algo mais exclusivo, é possível também criar o seu próprio tema, ou então alterar um dos disponíveis utilizando uma ferramenta muito legal que lhe permite ver as alterações em tempo real na página.

Trabalhamos também para deixar o Twitter mais bonito e elegante. Suavizamos algumas linhas divisórias, retiramos espaçamentos desnecessários e melhoramos a tipografia e acabamento visual do botão de update, além de arredondar alguns cantos do layout (apenas para usuários Firefox e Safari) para deixar a aplicação mais consistente com o logotipo do Twitter. São detalhes que fazem a diferença.

3 – Como é a equipe que trabalha por aí?

A equipe do Twitter é extremamente competente e dedicada. Muitos profissionais têm passagem por empresas como o Google e Apple.

4 – Com relação às constantes quedas do serviço (que até diminuíram recentemente), como a empresa tem trabalhado para eliminar os problemas?

Os engenheiros estão trabalhando muito para aprimorar a estabilidade e tempo de resposta do serviço. Estou acompanhado como vocês, e muito feliz com o resultado até agora. Faz tempo que não vejo a baleia : )

5 – Você sabe se há previsões para a volta do funcionamento do Twitter via IM?

Não tenho esta informação.

6 – Uma versão do Twitter em português é um projeto futuro de vocês?

Expandir globalmente com certeza é uma meta do serviço. Não sei lhe dizer se existirá uma versão em português, mas por que não? Atualmente o serviço já está disponível em japonês.

7 – Você (e alguém mais da equipe do Twitter) acompanhou o equívoco envolvendo o nome do microblog e o Tribunal Regional Eleitoral do Ceará? O que pensam sobre o caso?

Eu acompanhei sim, e mostrei para alguns co-workers. Não tenho uma opinião formada sobre o caso, mas acredito que você tenha passado uma situação extremamente desconfortável por conta de um equívoco. Ainda assim, imagino que os fãs do Twitter só tenham a lhe agradecer, por de alguma forma, ter sido o “escudo” do site nesta situação completamente infeliz. Outra coisa que me pergunto é, será que a justiça imaginou que estaria bloqueando totalmente o site? Será que fazem idéia do que representa uma estrutura descentralizada e de como é possível utilizar o Twitter através de diversos outros sites via API?

 

 

  1. Gilderlânia
    16/04/2010 às 9:54

    eu faço curso de informatica e to em duvida se sigo ou nao na profissão…se fosse seguir seria webdesign
    como vou saber se isso é msm oq quero?
    por favor me ajudem…

  2. 08/01/2011 às 8:36

    Olá, Amigo gostaria de saber se existe uma profissao ou cargo para uma pessoa que auxilia ou dá assistecia ao Webdesigner?
    Estou querendo entrar na area mas quero comerçar de baixo.

  3. atus
    14/11/2011 às 13:55

    olá, caras eu estava em duvida em que carreira iria seguir tenho 16 anos e ja tenho curso de eletricista, pensei em continuar na carreira e fazer tecnico em eletrônica mas acabei escolhendo fazer tecnico em redes de computadores, coisa que me interessa um tanto mais, queria saber se webdesing e o proximo passo depois de redes e se existe nivel um cargo que seja evolução de webdesing, seria webmaster qual a diferença?

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: